Conheça o novo presidente do CREA-PR e demais eleitos para a gestão 2018/2020

20/03/2018


O engenheiro civil Ricardo Rocha de Oliveira assumiu a função no dia 2 de janeiro e está visitando as Regionais do Conselho no Estado; também já tomaram posse os demais eleitos do Paraná

Aconteceram no dia 15 de dezembro de 2017, em todas as Inspetorias e Regionais do Crea-PR, as eleições para alguns cargos do Sistema Confea/Crea e Mútua, em âmbito nacional e regional. Os eleitos no Paraná foram: engenheiro civil Joel Krüger para presidente do Confea, engenheiro civil Ricardo Rocha de Oliveira para presidente do Crea-PR, engenheiro Julio Cesar Vercesi Russi para diretor geral da Mútua e engenheiro químico Luiz Eduardo Caron para diretor administrativo da Mútua. Seus mandatos iniciaram em 1º de janeiro de 2018 e seguem até 31 de dezembro de 2020.
Homologado pelo Plenário do Confea no dia 28 de dezembro, Ricardo Rocha de Oliveira recebeu em 2 de janeiro o cargo de presidente do Crea-PR das mãos do presidente em exercício na época, engenheiro agrônomo Nilson Cardoso. A cerimônia contou com a presença dos últimos presidentes do Crea-PR, engenheiro agrônomo Álvaro Cabrini Júnior e engenheiro civil Joel Krüger. Estiveram presentes ainda o 2.º vice-presidente do Crea-PR na época, engenheiro civil Cássio José Ribas Macedo, a engenheira civil Vivian Curial Baeta de Faria, o engenheiro eletricista Rolf Gustavo Meyer, o superintendente do Crea-PR, engenheiro agrônomo Celso Roberto Ritter, o engenheiro mecânico Jorge Henrique Borges da Silva e a esposa do novo presidente eleito, engenheira civil Ana Maria de Sousa Santana de Oliveira. Ao ser empossado, o novo presidente prestou o compromisso de bem e fielmente desempenhar a função, e dar fiel cumprimento às normas legais e ao Regimento Interno do Crea-PR.
“É extremamente marcante para mim como profissional paranaense, formado pela Universidade Estadual de Londrina, professor, ex-reitor da Unioeste e ex-conselheiro do Crea-PR, assumir a presidência deste Conselho. Tenho agora uma enorme responsabilidade de interagir com todos os profissionais do Estado para realizar uma grande gestão”, disse.
“Graças a sua personalidade, você conquistou os profissionais do Paraná e obteve uma votação histórica para quem disputou pela primeira vez”, destacou Cabrini, ex-presidente do Crea-PR. Já Nilson Cardoso desejou sucesso à nova gestão e destacou a importância de ouvir os profissionais. “Acredito que em sua campanha você tenha feito esse diálogo e agora como novo presidente é necessário colocar em prática esse discurso, valorizando os profissionais e empresas que representamos”, aconselhou.
O 2.º vice-presidente do Crea-PR  na data também parabenizou o novo presidente eleito. “Fiquei feliz com sua eleição e tenho certeza de que você tem toda a capacidade para realizar um excelente trabalho à frente do nosso Conselho”, disse Cássio.
Por fim, o presidente do Crea-PR nas duas últimas gestões ressaltou a oportunidade de inovar e realizar mudanças. “Hoje começa a sua gestão. O importante é avançar, olhar para frente e mudar o que for necessário. Conte comigo e com todos os presidentes de gestões anteriores para lhe auxiliar no que for necessário, mas tenho certeza de que você fará um excelente trabalho em prol de todos os profissionais e empresas da Engenharia do Paraná”, afirmou Joel.


Lideranças das áreas tecnológicas prestigiaram a posse de Ricardo ROCHA

No dia 22 de janeiro foi realizada a posse solene do presidente Ricardo Rocha, em cerimônia marcada pela presença de lideranças da Engenharia, Agronomia e Geociências. Foram empossados também na oportunidade os diretores geral e administrativo da Mútua-PR, engenheiro civil Julio Cesar Vercesi Russi e engenheiro químico Luiz Eduardo Caron, respectivamente, e  os novos conselheiros titulares e suplentes do Colegiado 2018.

O evento realizado na UniBrasil contou com a presença do presidente do Confea, engenheiro civil Joel Krüger, do presidente da Mútua, engenheiro civil Paulo Roberto de Queiroz Guimarães, e dos secretários estaduais de Infraestrutura e Logística, engenheiro civil José Richa Filho, e de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes. Também presentes na mesa de autoridades a pró-reitora de Graduação do UniBrasil Centro Universitário, professora Lilian Pereira Ferrari, o presidente da Associação Brasileira dos Engenheiros Agrícolas – Seção Paraná (ABEAG-PR), engenheiro agrícola Valmor Pietsch, a engenheira agrônoma e conselheira do Crea-PR, Marcia Helena Laino e o reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), engenheiro civil Carlos Luciano Sant’Ana Vargas.

Prestigiaram o evento os presidentes de gestões anteriores do Crea-PR, o arquiteto e urbanista Armando Strambi, o engenheiro civil Orlando Maciel Strobel e o engenheiro agrônomo Álvaro Cabrini Junior. O presidente Ricardo Rocha de Oliveira recebeu seu termo de posse das mãos do presidente do Confea, Joel Krüger. Os diretores da Mútua-PR receberam seus termos do presidente da Mútua, Paulo Guimarães, que parabenizou todos os empossados. Ele disse também: “acreditamos que o desenvolvimento do Brasil e a qualificação dos profissionais da engenharia nacional se dão por meio da educação e nessa área temos alguns projetos a realizar em parceria com o Confea na nova gestão”. 

O secretário José Richa Filho, representando o governador do Paraná Beto Richa, fez uma reflexão sobre a importância do trabalho que os colegas realizam em prol de todos os paranaenses, com o desenvolvimento, ações preventivas, e principalmente “ética, um requisito indispensável para quem atua em cargos fiscalizatórios, além do compromisso de bem servir à comunidade”. E finalizou: “os dirigentes e representantes do Crea auxiliam o Estado a promover uma vida melhor aos seus habitantes”.

Já o secretário estadual João Carlos Gomes comentou sobre a “preocupação que o Crea-PR tem com a qualidade da formação dos profissionais, visível nas ações e eventos como o Fórum de Docentes, e tenho certeza de que o professor Ricardo e todos os gestores que assumem o Crea continuam visando sempre à melhoria, formação e qualificação dos profissionais”.

Quem também falou na posse e “passou o bastão” para Ricardo foi Joel Krüger, eleito presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea). Ele presidiu o Crea-PR nos dois últimos mandatos e comentou que “o período foi pautado em pilares fundamentais na história do Conselho: planejamento, compromisso, dedicação e continuidade dos trabalhos executados nas gestões anteriores”. Krüger aproveitou a ocasião para agradecer a cada um dos conselheiros, diretores, entidades de classe, instituições de ensino e empresas que acompanharam os seis anos de sua gestão no Paraná, e destacou o corpo funcional “pelo profissionalismo e dedicação ao Crea-PR pela causa da Engenharia, da Agronomia e das Geociências”. 

Inovação na Nova Gestão

Feliz pelo momento que marca o início de sua gestão como presidente do Crea-PR, Ricardo Rocha destacou em sua fala a principal marca do Conselho, que é a fiscalização e valorização do exercício profissional. “Vamos realizar ações para promoção de processos de fiscalização ainda mais assertivos, dinâmicos e participativos. Para isso, estamos propondo ampliar o trabalho desenvolvido nas últimas gestões do Crea-PR, investindo ainda mais na inovação tecnológica para potencializar a ação fiscalizatória, atuando em conjunto com as diretrizes das Câmaras Especializadas e o apoio de nossos inspetores em todo o Estado. Pretendemos ainda intensificar o processo de modernização e melhoria contínua do programa de capacitação e atualização de conhecimento ao corpo funcional do nosso Conselho”, disse.

Sobre as entidades de classe, ele afirmou que a gestão “vai promover políticas de apoio à manutenção, criação e resgate destas instituições para que continuem atuantes e exerçam seu papel político na defesa das profissões, no Sistema Confea/Crea/Mútua e na sociedade em geral”. Como professor universitário e ex-reitor da Unioeste que conhece bem o trabalho já desenvolvido pelo Crea-PR, assegura que “a  gestão também tem o compromisso de aproximação com as nossas instituições de ensino de todo o Estado”.

Diretor Financeiro da Mútua

Na mesma Sessão Plenária os conselheiros elegeram o novo diretor financeiro da Mútua, o engenheiro mecânico Harlon Luna Ferreira. O ato foi coordenado pela Comissão Eleitoral do Crea-PR, presidida pelo conselheiro engenheiro agrônomo Almir Gnoatto. Ao final da Plenária ele foi empossado pelo presidente Ricardo Rocha, juntando-se ao diretor geral Julio Russi e ao diretor administrativo Luiz Eduardo Caron.


Conheça mais sobre o trabalho do presidente do Crea-PR

1. Disputando pela primeira vez o pleito, como foi para o senhor receber a notícia de que estava eleito para presidente do Conselho e com votação expressiva? E quais são as expectativas para a gestão que inicia?

R: É extremamente marcante para mim como profissional paranaense, formado pela Universidade Estadual de Londrina, professor, ex-reitor da Unioeste e ex-conselheiro do Crea-PR assumir a presidência deste Conselho. Iniciei minha convivência com o Conselho já quando estava cursando engenharia, há 30 anos. Desde então o Crea-PR fez parte de minha trajetória profissional, um local onde sempre tive um excelente relacionamento. Tenho agora uma enorme responsabilidade de interagir com todos os profissionais do Estado para realizar uma grande gestão.

2. Nas suas propostas, durante a campanha, o senhor destacou quatro frentes de atuação. Pretende mantê-las em foco?

R: Durante a campanha eleitoral mostrei o plano de gestão aos profissionais de todo o Paraná, com foco na valorização das profissões, fortalecimento das entidades de classe e das relações com as instituições de ensino, modernização dos processos de gestão e das ações de fiscalização, e ampliação do relacionamento com a sociedade. O trabalho agora é colocar esse plano em execução e, para isso, conto com o empenho e a colaboração de toda a equipe do Crea-PR. Nos lugares onde atuei, sempre pautei minha administração pelo trabalho em conjunto e pelo diálogo, buscando a melhoria contínua e um bom relacionamento de equipe. Por isso, devemos manter a boa administração e ousar em algumas questões, com o objetivo de melhorar ainda mais nosso Conselho.

3. Sobre o foco na valorização profissional, quais são as ideias que o senhor e sua equipe trazem para os profissionais paranaenses?

R: A valorização profissional deve começar desde os acadêmicos. Para exercer a profissão de engenheiro, agrônomo ou profissional das geociências são necessárias duas habilitações: a acadêmica, obtida pela diplomação por uma instituição de ensino devidamente registrada no Ministério da Educação, e a habilitação legal, obtida pelo registro profissional junto ao Crea. Temos um programa específico para aproximar os estudantes do sistema profissional, o Programa CreaJr-PR, aberto a todas as instituições de ensino paranaenses, tanto as de nível superior quanto as de nível tecnológico e técnico. Mas nosso objetivo é ampliar ainda mais a participação dos estudantes. Para isso, criamos a Assessoria de Inserção Profissional, que pretende fomentar, apoiar e debater com nossas instituições de ensino ações relacionadas à inserção profissional como, por exemplo, incentivo à criação de dispositivos de residência-técnica como processo de inserção dos egressos no exercício profissional.

4. Sobre o fortalecimento das relações com as entidades de classe e as instituições de ensino, o que podemos esperar de inovador nas possibilidades de parcerias estabelecidas pelo Crea-PR?

R: Sobre as entidades de classe, vamos promover políticas de apoio à manutenção, criação e resgate destas instituições para que continuem atuantes e exerçam seu papel político na defesa das profissões, no Sistema Confea/Crea e Mútua e na sociedade em geral. Como professor universitário e ex-reitor da Unioeste, a nossa gestão também tem o compromisso de aproximação com as instituições de ensino de todo o Estado. Afinal, são as universidades que formam os novos profissionais e elas têm o dever de orientar seus alunos sobre a importância do registro profissional. Para isso, temos uma série de produtos e serviços oferecidos às instituições de ensino. Um exemplo é a revista Técnico-Científica do Crea-PR, uma publicação multidisciplinar que proporciona a disseminação do conhecimento técnico e científico produzido nas áreas de engenharia, agronomia e geociências. Desde o seu lançamento em 2013, já publicamos sete edições e mais duas especiais, somando até o momento mais de 100 mil acessos ao periódico. Também temos o Portal da Educação, que reúne informações relevantes sobre o nosso Sistema Profissional, com uma série de serviços voltados para as instituições de ensino. Por isso, tenho o compromisso de ampliar o portfólio de produtos e serviços já ofertados aos docentes. Temos também um grande desafio, que é estruturar os processos de acompanhamento, avaliação e análise de concessão de atribuições no novo formato, a partir da Resolução n.° 1.073 do Confea.

5. Com relação à modernização da gestão e da fiscalização, suas propostas mostraram que conhece os modelos e programas do Crea-PR, assim como está ciente da atual realidade, especialmente nas fiscalizações. O que destacaria como mudança?

R: Vamos realizar ações para promoção de processos de fiscalização ainda mais assertivos, dinâmicos e participativos. Para isso, estamos propondo ampliar o trabalho desenvolvido nas últimas gestões do Crea-PR, investindo ainda mais na inovação tecnológica para potencializar a ação fiscalizatória, atuando em conjunto com as diretrizes das Câmaras Especializadas e o apoio de nossos inspetores em todo o Estado. O objetivo do Crea-PR, ao fiscalizar as obras e os serviços técnicos vinculados às diversas profissões que representa, é proteger a sociedade de danos que possam ocorrer na execução do objeto fiscalizado. A legislação determina que somente os profissionais habilitados podem executar obras e serviços de Engenharia e Agronomia, pois estão aptos a oferecer à sociedade um acompanhamento idôneo e tecnicamente eficaz. Para isso, o Crea-PR possui uma estrutura tecnológica já consolidada, mas que nessa nova gestão terá ainda mais foco, com a construção de novos produtos para cruzamento de informações, aumentando a eficiência e a eficácia de nossa fiscalização.

Um exemplo é o aplicativo do Crea-PR, disponível para Android e iOS, por meio do qual é possível fazer denúncias de forma ágil de obras e serviços, para a averiguação por parte de nossas equipes. O usuário pode anexar imagens feitas com o próprio celular, cadastrar a coordenada GPS e, após o preenchimento, ele recebe um número de protocolo para acompanhar o processo. A ferramenta disponibiliza também a consulta da situação cadastral de profissionais e empresas registrados por nome ou número de registro, da situação de protocolos ou da localização de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), permitindo que cada cidadão possa contribuir com a segurança da sociedade.


Currículos e Propostas dos Eleitos

RICARDO ROCHA DE OLIVEIRA    -   Eleito presidente do Crea-PR

Engenheiro Civil formado pela Universidade de Londrina (UEL) em 1988, mestre (1993) e doutor em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2010. Reitor da Unioeste (2003-2004), professor da Unioeste desde 1995, onde foi diretor de centro, coordenador de curso e chefe de departamento. Presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Cascavel (AEAC) em 2014 e 2015. No Crea-PR, já atuou como conselheiro titular (2004-2006) e coordenador do Colégio de Entidades Regionais (CDER) da Regional Cascavel (2015), da CES-Comissão de Educação do Sistema (2005), da Comissão Organizadora do 9.º CEP.

Entre suas propostas estão a valorização profissional; implementar programa de defesa de atribuições e da ética no exercício profissional; criar ações de valorização de inovações desenvolvidas por profissionais do Crea-PR; valorizar direitos profissionais, destacando a justa remuneração, respeito aos va­lores de tabelas de honorários, salário mínimo profissional; ocupação de cargos por profissionais habilitados; fortalecimento das entidades de classe e das relações com instituições de ensino; intensificar as ações do Programa de Apoio à Sustentabilidade das Entidades de Classe (ProEC); promover o diálogo entre o Crea-PR, IEs e órgãos de regulamentação da Educação; ampliar produtos e serviços para docentes; estruturar processos de acompanhamento de concessão de atribuições (Resolução Confea n.º 1073/2016); ampliar e fortalecer o Programa CreaJr; e modernização da gestão e da fiscalização.


JOEL KRÜGER    -   Eleito presidente do Confea

Graduado em Engenharia Civil pela UFPR e mestre em Educação pela PUC­PR. É professor universitário há mais de 30 anos. Em 1999, iniciou sua trajetória no Crea-PR como conselheiro e, em 2012, foi eleito para seu primeiro mandato como presidente, sendo reeleito em 2015.

Entre suas propostas estão defender a sobe­rania, o capital tecnológico e as empresas nacionais; valorização e defesa dos profissionais da engenharia, agronomia, geociências, técnicos e tecnólogos; im­plantar e exigir reciprocidade de tratamento no trânsito internacional do exercício profissional; normatizar o rol de cargos técnicos privativos aos títulos profissio­nais; reestruturar o Congresso Nacional de Profissionais e demais fóruns deci­sórios; implantar programa nacional de apoio às entidades de classe; ampliar a representação das profissões nas estruturas nacionais das Câmaras Especializadas; desencadear campanha nacio­nal em prol da modernização da Lei de Licitações e do fim do pregão para a contratação de obras de engenharia, agronomia e geociências; combater a multiplicação excessiva de cursos e a fragilização do processo de formação de novos profissionais; e respeitar os princípios fundamentais do serviço público na gestão do Confea, como probidade, publicidade, moralidade, legalidade, economicidade e transparência.


JULIO CESAR VERCESI RUSSI    -   Eleito diretor geral da Mútua-PR

Engenheiro civil formado em 1981 pela UFPR, pós-graduado em Tecnologia da Informação pela Universidade Positivo, 35 anos dedicados ao rodoviarismo paranaense junto ao Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER) e 12 anos atuando como professor na Universidade Tuiuti do Paraná (setor de Ciências Exatas). Conselheiro do Crea-PR por seis anos e membro da JARI, do DER-PR, por oito anos.

Entre suas propostas estão alteração dos Estatutos da Mútua para conquista de maior autonomia na gestão e independência na implantação de ações regionais; promover várias ações de apoio e valorização das entidades de classe do Sistema Confea/Crea; e realizar ações conjuntas com o Crea-PR para promoção da ética profissional e defesa de atribuições profissionais.


LUIZ EDUARDO CARON    -   Eleito diretor administrativo da Mútua-PR

Engenheiro químico formado pela UFPR em 1979 e mestre em Materiais Poliméricos pela UFSCar SP em 1997. Já atuou na COPEL/LAC, LACTEC e como consultor autônomo. Participou da AEQP, SENGE-PR e IEP, foi coordenador do CEEQGEM 2014–2015, coordenador do CCEEQ/CONFEA 2015 e é conselheiro do Crea-PR desde 2012. 

Entre suas propostas estão exercer gestão ad­ministrativa com ética, legalidade, probidade, moralidade, impessoalida­de e transparência; trabalhar pela interiorização da MÚTUA, visando abra­çar todo o Paraná; realizar ampla divulga­ção das normativas que governam a MÚTUA; propugnar por maior independência de atuação da MÚTUA; es­tudar as resoluções conexas à MÚTUA, visando gerar propostas de valorização profissional, das profissões e entidades de classe; e ampliar o número de associados, por meio da ampla divulgação de ações e aproximação dos profissionais do Crea.


Harlon Luna Ferreira    -   Eleito diretor financeiro da Mútua

Engenheiro mecânico formado em 2010 pela Faculdade Anhanguera de Matão, tecnólogo (2009) e técnico (2008) em Mecânica pela Universidade Federal Tecnológica do Paraná. Atua na área administrativa, planejamento empresarial e gerência de projetos. De 2011 a 2013 atuou como engenheiro de campo no Grupo Montarte. Conselheiro do Crea-PR desde 2014, coordenador do Comitê Elevadores da ABNT (2017-2018) e coordenador-adjunto da Comissão de Ética do Crea-PR (2017). Participação associativa nas Associações dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos da Região de Bandeirantes e do Norte Pioneiro, Instituto de Engenharia do Paraná, Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná e Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina.

Entre suas propostas estão criar linhas de benefícios específicas aos conselheiros e funcionários do Sistema Confea/Crea/Mútua; ampliar os valores dos benefícios para imóveis e veículos, com a ampliação dos prazos para pagamentos; ampliar o orçamento e a autonomia da diretoria regional; e promover mais transparência da aplicação e destinação dos recursos da Mútua.



Comentários

Os campos com * são obrigatórios
Não será divulgado

Seja o primeiro a comentar