Crea-PR na luta contra a dengue

01/05/2016


Unir forças no combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya, levando informação e conscientizando cada um dos profissionais dentro das obras tem sido a missão da campanha criada pelo Crea-PR. O principal desafio é mostrar por que os canteiros de obras podem se tornar grandes criadouros do mosquito e como é possível evitar ou até mesmo eliminar os focos.

“O Crea-PR identificou a possibilidade de aproveitar as nossas mais de 50 mil atividades de fiscalização para também promover ações de conscientização individual sobre a importância no combate à dengue e a outras doenças transmitidas pelo mosquito. A campanha tem se mostrado efetiva e reforça o compromisso do conselho pela defesa da sociedade”, explica Diogo Artur Tocasselli Colella, gerente do Defis – Departamento de Fiscalização do Crea-PR.

Além dos cartazes afixados nas obras com dicas sobre os principais cuidados no combate (foto), os agentes do conselho utilizam as visitas diárias de fiscalização para reforçar a orientação direcionada aos profissionais. Entre as instruções estão a importância de manter a obra limpa, sem lixos e materiais descartáveis espalhados pelo canteiro de obras, e manter os carrinhos de mão, betoneiras, tambores e outros equipamentos que podem acumular água sempre virados para baixo.

A campanha, que tem como mote “o melhor equipamento de proteção contra o mosquito é você”, conta com o apoio do Colégio de Entidades Regionais (CDER) – que reúne mais de 70 associações de engenheiros e agrônomos de todo o estado –, SindusconPR, Seconci, Sinduscon NortePR, Sinduscon NordestePR, Sinduscon Paraná Oeste, Apeop e Sicepot-PR.

Para Euclésio Finatti, vice-presidente de Área Técnica do Sinduscon-PR, esta união de forças entre Crea-PR, empresas e entidades é essencial e permite disseminar a conscientização sobre o assunto, atingindo um maior número de profissionais. “É uma ação humanitária para combater um alarmante problema. Juntando forças, reforçamos o atendimento e pulverizamos as instruções. Com o trabalho de orientação direcionada, nossos técnicos de segurança e enfermeiras procuram mostrar ao trabalhador como perceber o que precisa ser feito na obra para reduzir ou eliminar os focos do mosquito. Procuramos ser objetivos e fazer com que ele realmente compreenda a importância de se combater o mosquito e que com ações simples é possível vencer este desafio”, declara Finatti.

Lojas de materiais de construção, entidades de classe, instituições de ensino e prefeituras também têm recebido os cartazes e material informativo da campanha.

“O maior objetivo desta orientação direcionada é alinhar a rotina dos profissionais com a segurança da comunidade no entorno da obra.” Diogo Artur Tocacelli Colella, gerente do Defis – Departamento de Fiscalização do Crea-PR

“Com a campanha, os profissionais estão dando uma atenção ainda maior à limpeza e organização dos ambientes das obras. É como uma progressão geométrica de avaliações positivas e de conscientização, já que cada um deles repassa as orientações para as suas casas, vizinhos e amigos.” Euclésio Finatti, vice-presidente de Área Técnica do Sinduscon-PR


A dengue no Paraná

Segundo o último boletim divulgado no dia 10 de maio deste ano pela Secretaria Estadual da Saúde foram confirmados 42.094 casos de dengue no Paraná. Cinco municípios atingiram o índice epidêmico, quando há 300 casos por 100 mil habitantes: Santa Izabel do Oeste, Jesuítas, Astorga, Ouro Verde do Oeste e Toledo. Em Paranaguá, os números reduziram, apresentando agora 13.683 confirmações. Desde agosto do ano passado, já foram registrados 47 óbitos causados pelo vírus da dengue no Paraná.

Já em relação à infecção por zika vírus no Estado foram confirmados 278 casos entre agosto de 2015 e abril de 2016. No mesmo período, foram registrados 60 casos de febre chikungunya. Desde o início do ano, 25 gestantes foram infectadas pelo zika vírus. 



Comentários

Os campos com * são obrigatórios
Não será divulgado

Seja o primeiro a comentar